No Ataque


2 Comentários

Quem são os desportistas da foto?

abc1_09abc2_09abc3_09Amigo Edmo,
 
Fui ao fundo do baú e localizei um registro fotógrafico que faz parte da história do ABC Futebol Clube. Na época o local era um deserto. O ex-presidente José Nilson de Sá, foi criticado pelos proprios abcdistas por ter feito a compra do terreno. Possuidor de uma grande visão empresarial, tinha certeza que seria um bom negocio para o time de Morro Branco. Hoje, o clube está localizado em uma aréa considerada uma mina de ouro. Por questão de justiça, a familia alvinegra, tem que reconhecer a grande contribuição que o ex-presidente deu para o engrandecimento do clube da Vila Olimpíca.  Aproveito o espaço do conceituado “BLOG”, para testar a memória dos saudosistas e desportistas do Rio Grande do Norte. “Quem são eles”?

Arquivo pessoal: Ribamar Cavalcante.
 
Atenciosamente,
Ribamar Cavalcante

Anúncios


Deixe um comentário

Delegação do ABC quase não era aceita no hotel em Atibaia

Soube que aconteceu um grande problema na chegada do ABC a Atibaia, cidade onde o clube está alojado.

O zum-zum foi no hotel.

O gerente se recusou a receber a delegação, isso depois de tudo acertado, reservado.

Ele ficou com medo.

Disse que seu hotel não tinha como reforçar a segurança, e que não dispunha de verba extra para esse gasto.

Afirmou aos dirigentes do clube do povo que não podia dar as garantias e que seu hotel seria alvo, poderia ser, de ações de assaltantes internacionais especializados.

A atitude do gerente deixou todos boquiabertos.

Foi um vira e mexe.

Qual a solução?

Ricardo Morais, superintendente, que conhece tudo de São Paulo e região, nem ele, tinha a solução.

O ABC já estava para ser mudado de hotel, mas os outros hotéis da cidade e região, ao saber do problema, também alegavam falta de segurança especializada.

E recusavam receber os potiguares.

A solução foi dado pela gerência do Banco do Brasil local.

Chamado às pressas para resolver o dilema, ele conseguiu  autorização da direção nacional do Banco do Brasil  e deu a solução.

Um cofre forte, reforçado, especial, blindado, de segurança máxima, à prova de fogo, dinamite, foi colocado à disposição do ABC.

Estão lá, até depois do jogo, depositados os quilos e quilos de ouro e prata que chegaram nos pescoços dos jogadores do ABC.

Sem falar nos brincos, pulseiras, anéis e relógios.

Makelelê, Elionar Bombinha, Ricardo Olveira, Malaquias,  Diego Barbosa, entre outros, têm correntes de ouro e prata que, avaliados por baixo, daria para pagar a dívida externa da Grécia.

Mas, graças ao Banco do Brasil, tudo está seguro, a cidade em paz, e os atletas tranquilos para a estreia de hoje.

A cidade de Atibaia, conta o gerente do hotel, nunca viu tanto outro e prata junto.