No Ataque


Deixe um comentário

Adriano Pardal deve se transferir para o futebol chinês

Uma fonte me assegura que o atacante Adriano Pardal esteve reunido com um empresário em um restaurante de Ponta Negra.

Assunto tratado: mudanças para o futebol asiático.

O destino do artilheiro do ABC na Série B deve ser a China.


Deixe um comentário

O ABC só precisou jogar menos de vinte minutos para vencer o Paraná

Um jogo muito, muito ruim, um resultado ótimo, ótimo, e isso é o que importa.

Ainda mais quando está em jogo a permanência do ABC na Série B do Campeonato Brasileiro,

Givanildo Oliveira, quando todo mundo achava que ele viria de Raul no lugar de Minhoca, ele optou por Guto.

Acho que isso travou o ABC. E como travou. Poderia ter dado certo, mas não deu.

O ABC ficou com três volantes de pegada. Guto centralizado, Bileu mais à esquerda e Serginho mais à direita.

Diria que Serginho mais perdido que “cego em tiroteio”.

Cascata, sem bola, voltava também e parecia um quarto volante na frente dos outros três.

Um jogo terrível.

O ABC vivia de jogadas isoladas de Éderson e Pardal, sobrecarregados e muito pouco acionados.

O Paraná, equipe sofrível, comandava as ações e até levava perigo em algumas situações de gols, criadas.

O ABC, sempre que saía com Bileu ou Guto, eles davam um toque a mais, promoviam um atraso. E Serginho, normalmente, errava o passe.

Foi assim todo o primeiro tempo.

Se o ABC, como disse Givanildo Oliveira, entrava com três volantes para liberar seus alas, deu tudo errado.

No segundo tempo, ainda sem mudanças, a coisa desgringolou de vez. Sorte que foi para os dois lados.

Paraná e ABC disputaram nos 27 minutos do segundo tempo talvez a pior partida que vi nesse Brasileiro.

Não havia visto nesse Brasileiro tantos erros de passes, de saída, de reposição, enfim…

Mas aí entrou Raul para salvar, e Rodrigo Silva para ser o “abençoado”.

Achei até que Givanildo errou nas duas substituições. Eu teria tentado ficar mais forte no ataque com mais qualidade.

Teria sacado Serginho que continuava entregar a bola ao adversário. Um absurdo um jogador de meio-campo, responsável por saída de jogo, errar tanto.

Eu teria tirado ele e ficado com Raul e Cascata para armar as jogadas de ataque. E não tiraria Pardal que continuava infernizando a defesa do Paraná.

Mas Raul fez a sua e a de Cascarta. Pôs o time para andar. E Rodrigo Silva teve a sorte de acertar um petardo de fora da área.

E o ABC encurralava o Paraná, amedrontava o time da casa com as jogadas verticais de Renatinho que, com a entrada de Raul, cresceu muito no jogo.

Quer dizer, passou a jogar.

E depois, em linda jogada de Raul, ABC 2 a 0 numa cabeçada estilosa do Rodrigo Cintra, o dono da noite.

Depois ainda teria o lance vergonhoso do gol irregular de Lúcio Flávio. Mais alguns poucos custos e fim de jogo.

Vitória merecida de um time que, em 18, 20 minutos provou, por A + B, não era para estar, pelos jogadores que tem no plantel, lutando pela permanência na Série B.

Acho que, definitivamente, o time do povo não corre mais risco de rebaixamento.

Para encerrar, só tenho que repetir: como a diretoria do ABC demorou a trocar de técnico.


Deixe um comentário

O ABC vence, mas foi prejudicado de forma escandalosa pela arbitragem

Um lance que nos envergonha.

Será que os senhores auditores, tão zelosos, cuidadosos com as “ofensas” dos jogadores enxergam também erros de arbitragem?

Esse gol absurdamente irregular marcado por Lúcio Flávio, sem exageros, poderia significar a mudança de um resultado.

O árbitro disse que não viu. O assistente também, assim como o quarto árbitro e o outro assistente.

O gol feito de soco pelo Lúcio Flávio poderia ter provocado uma reviravolta, um empate, quem sabe a derrota.

Um empate minha gente, vejam, significaria dois pontos a menos para o ABC e numa desastrada combinação de resultados, o rebaixamento.

Estou sendo pessimista?

Terrorista?

Não.

Realista.

A arbitragem do futebol brasileiro é uma indecência. E mais envergonhado ainda fico ao ver o pouco caso disso.

Não se faz nada realmente efetivo para entender o que se passar no submundo do futebol.

Não se enganem, submundo.

O ABC ganhou dois jogos seguidos, mas foi prejudicado de forma escandalosa.

E poderia, acreditem, está com os mesmos 39 pontos, correndo sério risco de descenso.

Talvez, se assim fosse, alguém pensasse em fazer algo, e poderia ser muito tarde.

Por conta da vitória, não se faz nada?Vamos deixar tudo isso passar em brancas nuvens?

Essa omissão é a causa de toda essa impunidade vergonhosa no futebol do Brasil.


Deixe um comentário

Eu, treinador, talvez não tivesse ganho jogo contra o Paraná

Eu treinador do ABC talvez não tivesse ganho do Paraná.

Eu não colocaria Raul no lugar de Cascata, e sim de Serginho, ou Guto.

O festival de passes errados do Serginho me incomodava demais.

Eu não teria colocado o Rodrigo Cintra, autor dos dois gols da vitória, no lugar de Pardal.

Deixaria essa dupla até o fim.

E tentaria, com a entrada de Raul no lugar de Serginho, fazer o time andar como andou.

Fazer o time acertar como acertou.

Fazer o time jogar com Renatinho Potiguar como andou.

Era isso.

Mas, muito melhor que qualquer coisa, foi testemunhar a vitória do ABC fora de casa.

E a certeza de que o time do povo não cai mais para a Série C do Brasileiro.


Deixe um comentário

Alguém precisa dizer ao Lúcio Curió que o “mundo da bola” dá muitas voltas

Lúcio Curió.

Quem me conhece sabe o quanto me custa falar mal de um jogador de futebol, de um bom jogador.

Até tinha decidido nada falar, mas…

O centroavante do América nunca dá entrevistas às rádios.

O jogo termina, os repórteres vão ao seu encontro, ele nada, olha para outro lado e mergulha no vestiário.

Tudo bem, opção dele, mas então por quê concede entrevistas à tevê?

Será que os profissionais de rádio têm menos importância?

Será que os profissionais de tevê são mais importantes que os de rádio?

Ou será que Lúcio Curió se acha muito bom para falar às humildes rádios de Natal?

Alguém precisa falar ao atacante o significado de palavras como humildade, democracia, direitos iguais…

Alguém precisa dizer ao ‘astro’ rubro que o mundo da bola dá muitas voltas.

E alguém precisa dizer ao Lúcio que tem um monte de torcedor, crianças, adultos, mulhres e idosos que gostariam de ouvi-lo falar.


Deixe um comentário

Netinho renova contrato com o América para 2013

Netinho renovou contrato com o América.

Uma boa notícia para a torcida rubra, que tem no jogador um de seus principais ídolos.

O rubro, com a folga da permanência na Série B assegurada, e poucas ou chance nenhuma de acesso, se organiza, já, para 2013.

Uma boa vantagem essa.

O meio-campo da Série B fica todo. Ricardo Baiano, Márcio Passos, Fabinho e Netinho.

Aliás, grande parte do time titular vai continuar.

E ainda têm os reforços que o presidente Alex Padang começa a tentar trazer.

Boas perspectivas, sem dúvida nenhuma.

Se renovar com Roberto Fernandes, o técnico, aí sim, vai marcar outro gol importante.


Deixe um comentário

Rubens Guilherme só vai pensar em 2013 depois de garantir permanência na ‘B’

O presidente Rubens Guilherme afirma que só depois de garantir a permanência na Série B vai pensar no futuro.

Ele explicou, e com razão, que não dá para fazer qualquer planejamento sem se garantir na Segundona.

O presidente aproveitou para agradecer o apoio da torcida que, segundo ele, atendeu ao chamado.